No sufoco, Náutico faz 3×2 no Vila Nova e vence primeira na Série B

Foi suado e sofrido, mas valeu a primeira vitória na Série B. Em partida bastante movimentada e com duas expulsões, o Náutico conheceu a sua primeira vitória na segundona ao vencer o Vila Nova-GO por 3×2, na Arena Pernambuco. Os gols do Timbu foram marcados por Mateus Muller, Rafael Pereira e Jefferson Nem. Roger e Vandinho descontaram para os goianos.

Com o resultado, o time pernambucano assume, provisoriamente, a 1oª colocação da segundona. Na próxima rodada, os alvirrubros vão até o Paraná, onde enfrentarão o Londrina, às 19h15, no estádio do Café.

O JOGO

O Vila Nova começou a partida com a marcação bastante avançada, o que dificultava as saídas de bola do Náutico. A solução do Timbu foi apostar em jogadas em velocidade, principalmente, com Jefferson Nem. Na melhor oportunidade, logo aos oito minutos, o camisa 11 deixou Roni na cara do gol, que chutou com perigo para fora.

Como o futebol é cruel, quem não faz, leva. O preço para a oportunidade perdida foi o gol do Vila Nova. Após vacilo de Rafael Pereira, Vandinho escorou a bola para Roger, que se aproveitou da furada de Joazi e mandou para o fundo das redes, abrindo o placar.

Apesar da falta de objetividade, o Timbu conseguiu chegar ao empate logo em seguida. Mostrando que é pé quente, o estreante Mateus Muller, em linda cobrança de falta, deixou tudo igual em São Lourenço da Mata, para a alegria dos pouco mais de 1.500 alvirrubros.

Após o gol, o Timbu passou a ser mais incisivo na partida, mas seguia refém das bolas paradas – foram quatro faltas perigosas na entrada da área. A retórica do jogo não se alterou durante a primeira etapa, até que, aos 20 minutos, aconteceu o lance de maior polêmica da noite.

Esquerdinha aproveitou bom lançamento e saiu em disparada. De frente para o gol, o camisa 7 foi puxado por Victor Bolt. O árbitro Luiz César Magalhães deu prosseguimento ao lance, mas foi alertado da falta pelo bandeirinha Marcione Mardonio. Após cinco minutos de muita conversa, o juiz acabou marcando a infração e expulsando o jogador do time goiano.

Com a superioridade numérica, o Náutico tomou conta do jogo. Com mais posse de bola, a virada no marcador virou questão de tempo. Ela tardou, mas veio. Nos acréscimos, Roni foi derrubado dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Rafael Pereira bateu forte, levando a vantagem para o intervalo: 2×1.

O segundo tempo de partida começou a mil por hora. Logo aos dois minutos, Jefferson Nem roubou uma bola na defesa, correu metade do campo e ampliou o placar: 3×1. Três minutos depois, veio o troco. Vandinho aproveitou ótimo cruzamento de Jean Carlos e diminuiu o marcador, colocando fogo na partida.

Com o placar aberto, o duelo ficou bastante aberto e com boas chances para ambas as equipes. A melhor delas saiu dos pés dos visitantes. Aos 33 minutos, Jean Carlos fez linda jogada, girou em cima de Rafael Pereira e chutou cruzado, obrigando Júlio César a fazer um verdadeiro milagre.

Um minuto depois, Bergson, que havia substituído Esquerdinha e não atuava há dois meses, acabou levando o segundo cartão amarelo e sendo expulso. Com a igualdade numérica, o Vila Nova se impôs e esteve mais perto de empatar a partida, do que o Náutico ampliar o placar.

Na base do abafa, o Náutico conseguiu se segurar e dar números finais à partida, garantindo a primeira vitória alvirrubra na Série B do Brasileirão: 3×2.

Fonte: Blog do Torcedor


Was This Post Helpful:

0 votes, 0 avg. rating

Share:

admin

Leave a Comment